sábado, 24 de dezembro de 2011

Impeachment ao “Sr espírito natalino”


Coisas boas acontecem nas vésperas do Natal, e coisas difíceis de compreender também. E é nesta época que certo personagem me intriga demasiadamente. Ora, devo preveni-lo que não me refiro ao menino Jesus e tão pouco ao Papai Noel. Tiro o chapéu para o ilustre “Sr. espírito natalino”.
O “Sr. espírito natalino” é pontual, sua visita é certa em vésperas de 25 de dezembro de todos os anos. Com um jeito bem mineirinho ele sempre chega sorrateiro e cativante, envolvendo-se com as pessoas e envolvendo umas com as outras. Suas táticas “Jedi by Star Wars” seduzem a grande maioria das pessoas. Até as de coração mais empedrados são tocadas por seus galanteios. Também pudera, é tudo tão colorido, iluminado, gostoso....as festas de final de ano não seriam as mesmas sem a participação do “Sr. espírito natalino”. As pessoas se beijam, se abraçam, distribuem sorrisos e felicitações até para desconhecidos. Pena que assim como no conto da Cinderela, ás 00:00h de todo dia 26 de dezembro ele precisa partir...correndo...
E é aí que eu me pego refletindo ciclicamente sem conseguir compreender porque o “Sr. espírito natalino” vai embora e porque os seus embrulhos de gentilezas se desfazem com a sua partida. Demasiadamente difícil e pesado para mim é tal coisa, diria o sábio Salomão. Sim, raso e frívolo, sem raízes e sem história, assim como muitos corações que se firmam na ideologia mercantilista de um natal emblemático. Promessas de felicidade "in vitro" disponíveis em prateleiras por businnes.